Blog

Bruxismo e tratamentos

Bruxismo e tratamentos

Uma combinação nada boa: estresse e ansiedade. Os dois são responsáveis pelo desencadeamento de uma série de disfunções ou doenças, entre elas, o bruxismo. O ranger ou o apertar dos dentes durante o dia ou à noite se tornou mais frequente com a pandemia do novo coronavírus.

Você convive com o problema há um tempo e os reflexos são inegáveis. Mas lidar com o ranger e apertar de dentes, na prática, se tornou mais complicado do que parecia. Por causa dele, o sono não é mais o mesmo e, além disso, sintomas como dores de cabeça e desgaste nos dentes já viraram velhos conhecidos. Mas será que vai ser assim para sempre?

 

O que é bruxismo?

O quadro de bruxismo é definido pela Academia Americana de Dor Orofacial como uma atividade parafuncional que inclui o ranger, apertar ou esfregar os dentes entre si, podendo acontecer durante o dia ou à noite.

 

 

Quais são as causas do bruxismo?

Ainda se discute muito acerca dos motivos que levam alguém a desenvolver bruxismo. Geralmente esta disfunção é associada a questões emocionais, como situações de estresse, tensão e ansiedade, mas também pode se originar a partir de problemas físicos (má oclusão dentária, por exemplo) e até fatores genéticos.

 

Consequências do bruxismo

  • Desgaste dos dentes

Com o contato intenso e constante, os dentes podem ficar desgastados, amolecidos e até sofrer fraturas. Assim, é comum que os pacientes relatem aumento de sensibilidade na região.

 

  • Ruídos ao dormir

Além de comprometer a qualidade do sono, o rangido entre os dentes é tão alto em certas ocasiões que chega a despertar quem está dormindo ao lado.

 

  • Dores musculares

Quando os dentes são pressionados com muita força ao longo do tempo, alguns músculos do rosto e pescoço ficam tensionados a ponto de nos causar desconforto ou até dor durante o dia.

 

O bruxismo tem cura?

Infelizmente o bruxismo ainda não possui um método de cura cientificamente comprovado. Por outro lado, conseguimos controlar os fatores que desencadeiam seus sintomas através de recursos como aulas de dança, terapias com psicólogos, medicação relaxante muscular e placa miorrelaxante de bruxismo, um dispositivo móvel e transparente, que se ajusta perfeitamente a superfície dos dentes, protegendo-os do contato direto, e que evita a contração muscular, auxiliando no relaxamento. A ideia é minimizar ao máximo os possíveis impactos que ela possa causar como fraturas, doenças periodontais, sensibilidade dentária, mobilidade dos dentes e até mesmo problemas na articulação temporomandibular (ATM).

 

 

Como acabar com o bruxismo nos dentes

Assim que começarem as desconfianças sobre a presença da doença, o primeiro passo deve ser procurar um dentista especialista no assunto. Ele é quem analisará os sinais e começará a investigar junto ao paciente de que forma e com que intensidade o problema tem se manifestado.

Mas por ser um problema ligado a fatores emocionais, além de procurar ajuda na parte física, é importante aliar os cuidados com o bem-estar. Por não ter cura, o tratamento do bruxismo é focado no controle dos fatores que desencadeiam os sintomas.  Acredita-se que buscar o controle do estresse e mudar de estilo de vida possa conduzir à melhora do quadro clínico.

 

Bruxismo diurno e bruxismo noturno: entenda as diferenças 

Quando se fala do bruxismo diurno, é possível ter controle sobre a parafunção de maneira consciente. A maioria dos pacientes pensa que o normal é ter os dentes em contato durante a maior parte do dia, mas não é. A posição maxilo-mandibular mais confortável é a que os dentes da parte de cima e de baixo ficam levemente separados.

Agora, se o assunto é o bruxismo noturno, uma maneira de amenizar o problema é buscar ao máximo um sono de qualidade. Os pacientes devem ser orientados a realizar uma espécie de “higiene do sono”, que consiste em respeitar a hora certa para dormir e acordar, além de buscar uma noite em que a sensação ao acordar seja de descanso físico e mental.


Há tratamentos alternativos para controlar o bruxismo?

Além da placa miorrelaxante, a aplicação de toxina botulínica se tornou uma alternativa complementar e eficaz em tratamentos de bruxismo.

Há alguns anos, os especialistas vêm utilizando o botox. Além de ser um eficaz tratamento para amenizar as rugas e as marcas de expressão e ser um forte aliado ao rejuvenescimento facial, as aplicações de toxina botulínica ajudam a melhorar o contorno do rosto, que fica com uma aparência mais rígida em função do bruxismo.

 

Quando surge o botox como arma contra o bruxismo?


A toxina botulínica surgiu nos tratamentos estéticos para retardar o surgimento de marcas de expressão, mas nos dois últimos anos tem conquistado espaço para diminuir dores provenientes do apertamento dentário (bruxismo), aliviando as dores de cabeça e relaxando os músculos da face. Nesses casos, a toxina botulínica é aplicada em pontos localizados nos músculos temporal anterior e masseter, na mandíbula.

O botox age no neurônio motor impedindo a liberação de acetilcolina, que é a substância que promove a contração da musculatura. Quando aplicada nos músculos mastigatórios, a toxina botulínica impede a contração, que ocasiona o ranger dos dentes.

Apesar de mostrar resultados satisfatórios, a aplicação do botox não garante a cura e, sim, apenas o controle do quadro – que pode ocasionar desgaste e quebra dos dentes. Por isso, o tratamento com a toxina botulínica deve ser usado para reduzir a força de contração muscular, sendo aliado às placas de mordida e a correção da mordida.

 

Como o tratamento com o botox funciona na prática?


A toxina botulínica interfere diretamente no funcionamento dos músculos, realizando a inibição da contração muscular. Quando ela é aplicada na região dos músculos da mastigação, que são os mesmos responsáveis pela contração involuntária (bruxismo), estes são bloqueados. Desta forma, mesmo que haja tensão, estresse e alterações psíquicas (causas comuns do bruxismo), o músculo, bloqueado pelo Botox, não consegue contrair de forma involuntária durante o sono.
 

Qual a consequência do bruxismo na estética do rosto? Como o botox melhora a harmonia facial?

Essa é uma das grandes vantagens do botox nesse tratamento, o relaxamento dos músculos promove uma melhora muito grande no contorno facial, o rosto fica visivelmente mais fino.

 

É possível reabilitar os dentes desgastados pelo bruxismo?

Dependendo do nível de bruxismo, é inevitável que a estrutura dentária do paciente se desgaste ao longo do tempo, trazendo consequências não só a parte estética, mas também à sua saúde. A boa notícia é que podemos reabilitar os dentes danificados de modo que fiquem próximos ao estado original. Caberá ao dentista responsável planejar o procedimento mais adequado de acordo com o quadro observado.

 

 

Compartilhe: