Blog

Ozonioterapia

Ozonioterapia

Hoje, a terapia com ozônio já é reconhecida em mais de 50 países, como um tratamento curativo – estudos demonstram a eficácia da Ozonioterapia no tratamento de doenças – e também tem se mostrado muito eficaz nos tratamentos estéticos.
A Ozonioterapia é um tratamento que utiliza a mistura de dois gases: oxigênio (95%) e ozônio (5%). Essa mistura é feita a partir de um gerador de ozônio medicinal, capaz de gerar uma descarga elétrica de cerca de 15.000 volts e aplicá-la no oxigênio puro medicinal (composto por 2 átomos), dissociando-se e fazendo surgir o ozônio medicinal (composto por uma molécula de oxigênio unida a 1 átomo do mesmo gás).

Como a Ozonioterapia age no nosso organismo?
O tratamento se baseia na mistura dessa substância gasosa, oxigênio e ozônio, aplicada no organismo do paciente. Em 2002, pesquisadores americanos, publicaram na Science – conceituada revista científica – um artigo comprovando que o nosso organismo produz o ozônio no processo de ativação de anticorpos.
Portanto o ozônio é uma biomolécula, ou seja, o tratamento não oferece riscos ao paciente. É impossível ter alergia ao ozônio. O gás também é considerado um poderoso agente oxidante, característica responsável pelos efeitos microbicidas contra bactérias, vírus e fungos.

Veja abaixo uma lista de benefícios da ação da Ozonioterapia no organismo:
•    Modula o sistema imunológico;
•    Melhora a drenagem linfática;
•    Efeito lipolítico (quebra de gorduras);
•    Libera fatores de crescimento (regeneração);
•    Efeito germicida (bactericida e fungicida);
•    Regula o metabolismo e as funções hepáticas, renal e tireoidiana;
•    Estimula a síntese de enzimas antioxidantes intracelulares;
•    Otimiza a liberação de ozônio nos tecidos;
•    Modula a cascata inflamatória (citocinas);
•    Libera óxido nítrico (vasodilatação).

A ozonioterapia pode ser utilizada para quais disfunções estéticas?
A Ozonioterapia pode ser utilizada na estética, facial, corporal e capilar. Veja abaixo uma lista de protocolos onde a terapia pode ser utilizada:
•    É capaz de liberar fatores de crescimento e estimular a regeneração;
•    Tem propriedades antioxidantes, com efeito microbicida contra fungos, bactérias e vírus;
•    Estimula a vasodilatação por meio da liberação de óxido nítrico;
•    Seu efeito lipolítico é responsável pela quebra de gorduras;
•    Celulite;
•    Acnes e hipercromias;
•    Rejuvenescimento facial;
•    Flacidez dérmica;
•    Estrias;
•    Queda capilar e calvície;
•    Papada;
•    Regula as funções dos rins, fígado e tireoide;
•    Estimula o sistema imunológico.
•    Entre outros.

A aplicação do ozônio pode ser feita de diversas maneiras, que variam de acordo com as necessidades de cada tratamento estético.
O meio menos invasivo é uso tópico, em que são utilizadas bolsas plásticas com ozônio, óleos ozonizados ou até água ozonizada. Existem também as aplicações locais, que são feitas por meio de injeções.
Em contato com o organismo, o gás é capaz de estimular o sistema imunológico e ativar a circulação, entre diversos outros efeitos localizados.
Em sua aplicação cutânea, por exemplo, o ozônio é capaz de ativar a circulação periférica e microcirculação, que oxigena os tecidos, estimula a atividade dos glóbulos vermelhos e, por consequência, traz um aspecto excelente para a pele.
Já em casos de tratamentos para gordura localizada e celulite, é possível aplicá-lo para que rompa as membranas das células gordurosas, que são liberadas e dissolvidas no próprio corpo.
Contra as varizes, o tratamento pode estimular a circulação de forma eficiente e rápida, gerando uma aparência muito mais satisfatória que os métodos tradicionais.

Compartilhe: